Inadimplência entre idosos

Maior concentração de devedores mineiros em 2019 ficou na faixa etária acima de 65 anos

inadimplencia_entre_idosos
Inadimplência atinge maiores de 65 anos (Imagem: Pixabay)

Os consumidores de Minas Gerais com idade entre 65 e 94 anos começaram e terminaram o ano de 2019 como os mais inadimplentes. De acordo com o indicador de inadimplência do Conselho Estadual do SPC, as pessoas dessa faixa etária fecharam o mês de dezembro representando 14,65% dos devedores do Estado. A faixa etária anterior (50 a 64 anos) foi responsável por 2,5% do total. O comportamento nas outras faixas ficou da seguinte maneira: de 40 a 49 anos (1,77%); de 30 a 39 anos (-2,54%); de 25 a 29 anos (-9,84%); de 18 a 24 anos (-22,77%) e mais de 18 anos (-23,59%). Essa tendência da inadimplência maior entre os consumidores acima de 65 anos vem sendo observada desde junho de 2018.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, explica que na grande maioria, as pessoas dessa faixa etária são as responsáveis financeiras pelas famílias. “Uma grande parte da família ainda depende dessas pessoas no dia a dia. E muitas delas estão aposentadas e têm um custo de vida mais elevado em função de despesas com a saúde”. O dirigente ainda comenta que mesmo o aumento dos rendimentos reais de 2,7% no terceiro trimestre do último ano não foi suficiente para inverter esse quadro (3º. Trimestre.19 = R$ 2.206 / 3º. Trimestre.18 = R$ 2.149).

Entre os gêneros, foi registrada maior queda da inadimplência, no último ano, para os homens (-1,61%). As mulheres apresentaram queda de 0,62%.

O volume de empresas mineiras endividadas cresceu 1,85% em dezembro de 2019 na comparação com o mesmo mês do ano anterior. “Mesmo com alguns indicadores em patamares melhores em relação aos anos anteriores, algumas empresas ainda não conseguiram quitar seus débitos e deixar a base de devedores”, explica Souza e Silva.

O segmento que detém a maior quantidade de empresas devedoras é o de serviços, com 4,36%. Em Minas Gerais, no acumulado de 12 meses, esse segmento registrou um crescimento muito baixo (0,4% – IBGE). “O setor de serviços foi muito impactado com a retração da economia do Estado por 11 trimestres consecutivos. Por isso as empresas ainda estão com sua capacidade de pagamento afetada”, justifica o presidente da CDL/BH.

Em relação às dívidas das empresas, foi registrada queda nas duas bases de comparação. Na variação anual a redução foi de 3,23%. Já na mensal (Dez.19/Nov.19) o recuo da quantidade de contas em atraso foi de 0,13%.


(* Com informações da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) – Leia mais informações sobre os índices de inadimplência no link abaixo
https://www.cdlbh.com.br/portal/9168/Sugestao_de_Pauta/Maior_concentracao_de_devedores_mineiros_em_2019__ficou_na_faixa_etaria_acima_de_65_anos)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *